Dia 7 de Julho

Os desafios e as vantagens da escola

Em período integral

A educação integral está se tornando uma realidade tanto na rede privada quanto na pública. Segundo dados governamentais, o número de alunos do ensino fundamental que fica oito horas ou mais na escola cresce 33% na rede pública 10,3% na escola particular. As matrículas de tempo integral já atendem 1,7 milhão de crianças e adolescentes no Brasil.

Com as novas tendências, os gestores de escolas passam a conviver com desafios, demandas por novos projetos pedagógicos, novas parcerias e infraestrutura. Assim, surgem três grandes preocupações para a implantação da escola integral: o tempo, o espaço e o currículo. Mas, afinal de contas, há uma receita para manter a infraestrutura da escola, a formação docente e o currículo sem ter um excesso incontrolável de gastos?

Muitas escolas mostram que sim. Todas elas têm em comum a clara proposta dos objetivos com as horas extras. O que se espera que a criança aprenda nesse período? 

Quais atividades acrescentarão essas noções? Com isso definido, torna-se mais fácil direcionar o trabalho no turno integral, investir em infraestrutura e na formação dos professores.

Alguns acreditam que a escola integral deve reforçar a aprendizagem, através de abordagens lúdicas. Outros acreditam que o ideal é guiar os alunos por maneiras que estimulem o interesse em aprender. As horas a mais devem contemplar um conjunto de ações educacionais que ampliem o trabalho das disciplinas regulares, mas também ajudem a abrir os olhos dos alunos para outras habilidades como a interação social, a preocupação com a comunidade, a formação cidadã, a prática esportiva e a qualidade de vida.

Outra preocupação dos especialistas é a perspectiva de que o tempo extra seja preenchido com aulas desconectadas do projeto pedagógico central da escola ou que sejam vistas como aulas de reforço para o conteúdo regulamentado. A escola deve manter uma articulação entre os vários aspectos da vida – saúde, sexualidade, meio ambiente, família, ciência, tecnologia – com as áreas de conhecimento. Assim, oficinas de informática, trabalhos voluntários, aulas de Empreendedorismo e palestras vocacionais podem ser sugestões interessantes para o turno complementar.